À Espera De Um Milagre

Antigamente, quando um rei enviava uma carta para outro rei, ele selava o envelope com um símbolo que atestava que realmente tinha sido ele quem tinha enviado a carta. O selo dava autenticidade àquela correspondência. Jesus não só afirmou ser Deus, mas tinha o selo de Deus na sua vida. O dom de fazer milagres era um dos fatos sobre Jesus que atestava ser Ele, um só com o Pai.

“[…] Então Jesus lhe perguntou: Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro? E disse a ele: “Levante-se e vá. Sua fé o salvou.” Lucas 17:17-19

Existe uma questão importante sobre os milagres, eles atestam o poder e presença de Deus, mas não faz de Deus simplesmente um curandeiro, ainda que muitos acabem olhando para Ele dessa forma. Os nove leprosos acreditaram no poder de cura de Jesus, mas não o vira como Deus, sua fé estava baseada na necessidade física e não na espiritual. Foram curados da enfermidade, mas não libertos dos outros males. Quando o samaritano retorna a Cristo, Ele glorifica a Deus e se prostra diante de Jesus, ele se rende ao Deus vivo. Para Ele, Jesus não é um curandeiro, mas o próprio Deus.

Certamente clamaremos pela ajuda de Deus, mas estamos dispostos a olhar para Ele como Ele realmente é ou como um gênio da lâmpada? Cristo não veio para nos salvar da enfermidade, do desemprego, da falta de um relacionamento, Ele veio nos salvar de nós mesmos, a fim de que possamos ter salvação.  Ele tem o poder de atender nossas necessidades, mas é preciso salientar que a nossa principal necessidade é nos render a Ele. Deus é Deus quando a cura vem. Deus é Deus quando a cura não vem.

Quando Jesus chama os primeiros discípulos tem algo que eu acho muito interessante e por vezes me passou despercebido. Aqueles pescadores não tinham pescado nada a noite inteira, depois de ensinar as multidões Cristo pede que os pescadores joguem novamente as redes em águas mais profundas. Simão, mesmo sabendo que não tinham conseguido nada “em atenção à palavra de Cristo, lança novamente as redes”. Depois disso, as redes chegavam a quebrar por conta da quantidade de peixes que pegavam. Aqueles homens testemunharam o poder de Deus. E qual foi a reação de Simão Pedro? Se lança aos pés de Jesus, reconhece ser pecador e se rende a Cristo. Tiago e João da mesma forma ficaram espantados. E Jesus os chama ao ministério. Aí eles deixaram os peixes lá e foram seguir Jesus.

“Então levaram as barcas para a margem, deixaram tudo, e seguiram a Jesus.” Lucas 5:11

Aqueles homens não pescaram nada, viram o poder de Deus se revelando no novo lançar de redes, se reconheceram pecadores e deixaram tudo para trás, inclusive os peixes. Muitas orações são motivadas por pedidos tristes e desesperados, e peço que acredite que Deus tem poder para te ajudar, mas te encorajo a refletir, quando se volta para Deus na tristeza e no desespero está disposto a largar tudo e o seguir? Não digo uma vida de eremita, missionário, nada assim radical, mas no seu dia a dia, ao se voltar a Cristo, você está disponível a se render a Ele? Se não, não é de Cristo que você precisa, mas de um curandeiro, não é a salvação que você busca, mas conforto terreno. Não é a cruz que você segue, mas o desejo de ter nessa vida, uma vida melhor, longe da possibilidade de matar o que você chama de “eu” e ser nova criatura em Cristo.

Gabriel Antunes

"Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o primeiro. Administrador da página C. S. Lewis Brasil, Dentista, Católico e ser humano. Não sei falar a palavra papibaquígrafo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.