Não tenha pena de Cristo.

Não pegue pedrinhas para jogar nesse texto, eu explicarei o que quero dizer.

Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
Isaías 53:7

A paixão de Cristo fala de um homem inocente que é condenado por blasfêmia, sem se opor a dor, nem pedir justiça aos homens. Fala da morte daquele que sem culpa nenhuma, carrega a culpa de todos em seu corpo ferido. De alguém que morre por amor, vive pelo amor e é o mais puro amor. A paixão revela na cruz a pureza sendo condenada por aqueles que Ela veio salvar. O grito dos prisioneiros pedindo a morte Daquele que trouxe libertação. Revolta contra Aquele que trouxe esperança.
Ao assistir o filme da Paixão de Cristo, ou ver alguma encenação sobre as dores de Jesus podemos ser traídos pelos nossos sentimentos, e ter em nós despertado algo que o próprio Cristo nem veio trazer, o sentimento de pena pelo injustiçado. O choro da pena provavelmente não trará grande mudança no nosso caráter, tampouco a consciência da salvação. Cristo ao longo da sua paixão se viu só, abandonado pelos que andaram com Ele, e condenado pelos muitos que outrora o saudaram. Eu e você meu caro leitor, provavelmente agiríamos da mesma forma. Revoltar-nos com os gritos de crucifica-o, com o lavar de mãos de Pilatos, com os “nãos” de Pedro pode até parecer que prezamos pela justiça do Deus condenado, mas se lá estivéssemos, gritaríamos para crucifica-lo, lavaríamos as mãos para não nos envolvermos, e daríamos quantos “nãos” fossem necessários para “salvar” a nossa pele. Sei disso pelo simples fato de sermos pecadores tanto quanto os daquela época, e a morte de Cristo foi em favor tanto dos que pecaram cerca de dois mil anos atrás, quanto dos que pecam nesse exato momento. Ou você acredita que na pele dos discípulos agiria de forma diferente da deles?
Não foi o sentimento de pena que Cristo veio trazer, mas a consciência da salvação. Ele veio cumprir a justiça para com Aqueles que não tinham como pagar pelos próprios pecados. Não foi o teu choro que Cristo veio colher, mas a tua própria vida, não só seus sentimentos, mas tudo o que você chama de “eu”. Ele não quer que você faça parte do corpo Dele por dó, isso passa. Mas pela fé de que Ele realmente é Deus, e que deu a vida para pagar pelos nossos pecados.

“Uma jovem foi parada por excesso de velocidade. O policial aplicou uma multa e levou-a perante o juiz. O juiz leu a acusação e perguntou: “culpada ou inocente?” A mulher admitiu: “culpada”. O juiz bateu a tribuna com seu martelinho e aplicou-lhe uma multa de cem dólares ou dez dias na cadeia. Em seguida, fez uma coisa surpreendente. Tirou suas vestes de magistrado, desceu da tribuna, pegou a carteira e pagou a multa da jovem. Por quê? O juiz era o seu pai. Ele amava sua filha, contudo era um juiz justo. Ela havia quebrado a lei, e ele não poderia simplesmente dizer-lhe: Porque a amo tanto, eu a perdôo. Pode ir sem pagar nada.” Tivesse ele feito uma coisa dessas, não teria sido justo em seu julgamento. Não teria cumprido a lei. O perdão tem sempre um preço.
Essa história ilustra em pequena escala o que Deus fez por nós por meio de Jesus. Nós pecamos e a bíblia declara que o salário do pecado é a morte. Quando Deus olha para nós, apesar de seu grande amor, precisa exercer justiça e declarar “morte” porque ele é reto e justo. Contudo, por ser também um Deus de amor, dispôs-se a descer do trono, tomar a forma de homem e pagar o preço por nós – sua morte sobre a cruz.” Josh Mcdowell

Não é o teu choro que Cristo veio conquistar, mas a tua vida. Não quer dizer que seja errado você chorar as dores do Filho de Deus, que chorar seja pecado, não é essa a questão. A questão aqui é ter a consciência que esse homem inocente morreu em favor da nossa culpa. Que a cruz não diz só sobre o sacrifício Dele, sobre os que o abandonaram, ou sobre os que o flagelaram, diz sobre a nossa culpa e um inocente pagando o preço que não podemos pagar. Cristo sabia o que estava fazendo, e é preciso que saibamos o sentido real das coisas. Não é sobre um inocente condenado. É sobre saber que Ele pagava o preço da nossa salvação. Se quiser chorar amigo, chore, mas que o teu choro se transforme em arrependimento. Se quiser chorar amigo, chore, mas que o teu choro seja sinal de que você crê. Se quiser chorar amigo, chore, mas lembre-se que Ele não veio pelo teu choro, mas pela tua vida.

Gabriel Antunes

"Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o primeiro. Administrador da página C. S. Lewis Brasil, Dentista, Católico e ser humano. Não sei falar a palavra papibaquígrafo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.